Mater Natura recebe premiações e reconhecimentos de seus projetos

Compartilhe esse conteúdo

Com muito orgulho recebemos comunicado sobre a conquista do 28º Prêmio Expressão Sul e Ecologia. É o reconhecimento pelos 25 anos de projetos de estudos e conservação do bicudinho-do-brejo, ave ameaçada de extinção, descoberta por pesquisadores do Mater Natura. O projeto premiado foi o “Mater Natura e os 25 anos da descoberta e da conservação do bicudinho-do-brejo: uma história de amor e perseverança”, na categoria Conservação da vida silvestre. 

O Prêmio Expressão de Ecologia, da Editora Expressão, é a premiação ambiental mais importante e longeva do Brasil e conta com o reconhecimento do Ministério do Meio Ambiente. Nesta 28ª edição, 198 cases ambientais participaram do Prêmio, que passou a agregar inscrições do Estado de São Paulo, além dos tradicionais três estados que compõem a Região Sul.

O Mater Natura recebeu o Troféu Onda Verde do Prêmio Expressão de Ecologia durante o Fórum de Gestão Sustentável 2022, no dia 27 de maio, Dia da Mata Atlântica. Durante o evento ocorreu o relançamento da Revista Expressão, nos formatos digitais e impresso, que detalha os projetos vencedores desta edição do Prêmio e traz entrevistas, artigos e matérias inéditas sobre sustentabilidade, ESG e economia circular. 

Confira a lista de premiados: https://bit.ly/3tkiGPZ

No mesmo dia, 27 de maio, recebemos uma homenagem do Sindicato dos Médicos Veterinários no Estado do Paraná (Sindivet-PR), que em parceria com a Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS), realizou um evento comemorativo ao Dia Nacional da Mata Atlântica.

A fim de reconhecer as boas práticas já realizadas em torno da proteção à biodiversidade, o Sindivet finalizou o evento com a homenagem “Guardiões da Natureza” direcionada às Organizações da Sociedade Civil (OSC) que historicamente tem se engajado na preservação ambiental no Paraná, entre elas o Mater Natura.

Já em 08 de junho, o presidente do Mater Natura, Paulo Pizzi, foi um dos homenageados com o Prêmio Ecologia e Ambientalismo 2022, em sessão solene realizada na Câmara Municipal de Curitiba (CMC). O Prêmio foi criado por lei municipal, e desde 2003 é concedido anualmente para as pessoas que se destacaram na área da conservação da natureza, do meio ambiente e dos interesses ecológicos de Curitiba. 

Este ano, a Câmara Municipal concedeu a homenagem a 23 entidades e personalidades, indicadas pelos vereadores e vereadoras e listadas no decreto legislativo nº 06/2022. Agradecemos ao vereador Nori Seto, vice-presidente da Comissão de Meio Ambiente da CMC, pela indicação a esse prestigiado Prêmio.

Fêmea de Bicudinho-do-brejo – Crédito: Larissa Teixeira

Por fim, no último dia 29 de março, o Mater Natura recebeu um reconhecimento internacional em um webinar realizado pelas instituições WRI Brasil, Instituto Centro de Vida – ICV, Imazon e a empresa Suzano, que apresentaram uma publicação contendo a seleção de 24 casos de sucesso com a aplicação da Regeneração Natural Assistida (RNA) – sendo 15 casos no Brasil e 9 em outros países. 

A RNA é uma técnica de restauração ecológica com baixos custos de implantação e grandes possibilidades de replicação em ecossistemas florestais. 

O caso de RNA executado pelo o Mater Natura foi um projeto desenvolvido junto com produtores rurais de um assentamento da reforma agrária para estimular a regeneração natural de espécies nativas da Floresta com Araucárias, com o apoio financeiro do BNDES. Uma das técnicas usadas foi o enriquecimento com o plantio de erva-mate, que cresce bem na sombra das árvores e já tem um mercado consolidado, ajudando a gerar renda aos produtores.

O evento foi transmitido em inglês, francês, espanhol e português. Confira o webinar gravado aqui.

Confira também a publicação na íntegra.

Inscreva-se em nossa Newsletter

Receba mensalmente o nosso informativo.

Posts Relacionados

Institucional

Mater Natura aprova projeto junto ao MMA e Funbio

O projeto “Refloresta o Lagamar: fortalecimento de áreas protegidas e da cadeia produtiva de restauração para conservação da Mata Atlântica” propõe a restauração e enriquecimento florestal de 181,1 hectares da vegetação nativa em sete Unidades de Conservação estaduais e privadas do Lagamar paranaense e a ampliação da cadeia produtiva de sementes e mudas destinadas à

Rolar para cima