Superação: Mater Natura efetua o replantio de mudas nativas em área de recuperação ecológica atingida por fogo

Compartilhe esse conteúdo

28 de junho de 2020, notícia publicada pelo Mater Natura – Instituto de Estudos Ambientais.

O Mater Natura, com apoio de parceiros e o patrocínio do BNDES, desenvolve desde setembro de 2017 projeto para a restauração ecológica de 351 ha de Mata Atlântica no Paraná e em Mato Grosso do Sul.

A partir de fevereiro de 2018 foram plantados 122 mil mudas de árvores nativas no Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema (PEVRI), situado no Mato Grosso do Sul, sendo realizada a manutenção periódica do plantio durante dois anos. No início de novembro de 2019 um incidente natural provocado por um raio ateou fogo em 95,9 hectares do projeto em que foi realizado o plantio total de mudas.

Como parte da construção de um Plano de Ação para mitigar e recuperar os impactos do incêndio, entre os dias 19 a 21 de novembro de 2019, uma equipe técnica do Mater Natura esteve na área para avaliar os impactos e elaborar diagnóstico sobre as mudas atingidas pelo fogo.

O prognóstico resultante desse primeiro relatório de diagnóstico indicou boas perspectivas de ocorrer alta taxa de sobrevivência das mudas afetadas. E, entre os dias 21 a 23 de janeiro de 2020, os mesmos técnicos voltaram ao PEVRI para realizar o segundo diagnóstico, avaliando as taxas de sobrevivência e de rebrota das mudas afetadas, após o início do período de chuvas na região, sendo constatado que 70% das mudas sobreviveram e rebrotaram. Na ocasião, foi elaborado e apresentado ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES o citado Plano de Ação para mitigação dos impactos do incêndio.

A principal estratégia desse plano de ação foi a de pleitear e obter junto à Itaipu Binacional – um dos parceiros do projeto – a doação de 30 mil mudas de 18 espécies de essências nativas para replantio de substituição àquelas mortas pelo fogo. A preparação do solo na área afetada do PEVRI foi iniciada no dia 27 de abril, e o replantio em si ocorreu ao longo do mês de maio e se estendeu até o dia 16 de junho.

Entre os dias 16 e 19 de junho, um técnico do Mater Natura esteve no PEVRI para avaliação dos trabalhos realizados pela empresa contratada para o replantio, momento em que foi constatado que das 30 mil mudas recebidas restaram 5 mil indivíduos. Nesse sentido foi acertado com o chefe do Parque que essas mudas remanescentes serão replantadas, em julho, em áreas predefinidas para expansão da área de plantio total na UC, conforme mapa (Figura 1).

Figura 1 – Áreas do PEVRI objeto de atividades direta (plantio total) e de técnicas passivas para recuperação ecológica.
Figura 1 – Áreas do PEVRI objeto de técnicas de restauração direta (plantio total) e de técnicas passivas para recuperação ecológica.

Na ocasião desta visita de campo verificou-se que o trabalho de plantio e replantio realizado cumpriu o planejado no Plano de Ação, restando agora a manutenção das mudas nas áreas pouco afetadas pelo incêndio e naquelas objeto do replantio.

Agora no mês de julho, será realizada mais uma incursão de campo da equipe do Mater Natura de forma a efetuar um sobrevoo com drone para o registro com fotos georreferenciadas em cada 1 ha da área de plantio e replantio do PEVRI, bem como a realização do monitoramento anual do plantio na UC. E, na sequência, será elaborado o terceiro relatório sobre o incêndio, agora voltado a demonstrar a eficácia das medidas preconizadas no Plano de Ação para a mitigação e a recuperação dos impactos do incêndio no PEVRI. Na oportunidade, agradecemos a Itaipu Binacional, ao ICMBio, a equipe do PEVRI, ao BNDES e outros parceiros que contribuíram para a plena superação desse incidente da natureza ocorrida na área do projeto.

Figura 2 – Comparativo das mudas plantadas em fevereiro de 2018 e não afetadas pelo fogo, com aquelas mortas pelo incêndio e replantadas em junho de 2020.
Figura 2 – Comparativo das mudas plantadas em fevereiro de 2018 e não afetadas pelo fogo (na direita da foto), com aquelas mortas pelo incêndio e replantadas em junho de 2020 (esquerda da foto).

 

 

Inscreva-se em nossa Newsletter

Receba mensalmente o nosso informativo.

Posts Relacionados

Institucional

Mater Natura aprova projeto junto ao MMA e Funbio

O projeto “Refloresta o Lagamar: fortalecimento de áreas protegidas e da cadeia produtiva de restauração para conservação da Mata Atlântica” propõe a restauração e enriquecimento florestal de 181,1 hectares da vegetação nativa em sete Unidades de Conservação estaduais e privadas do Lagamar paranaense e a ampliação da cadeia produtiva de sementes e mudas destinadas à

Rolar para cima