Cargill e Mater Natura assinam contrato para restauração do Cerrado paranaense

Compartilhe esse conteúdo

O projeto do Mater Natura denominado “Cerrado Paranaense – fortalecimento de áreas protegidas e da cadeia produtiva de restauração”, foi aprovado junto ao Edital nº 01/2022 da Chamada para projetos de restauração da empresa Cargill. Ele propõe realizar em cinco anos (2023-2027) a execução da restauração de 1.223,41 hectares de vegetação nativa do bioma Cerrado do estado do Paraná.

O projeto abrange majoritariamente o município de Jaguariaíva, estendendo-se através do entorno do Parque Estadual do Cerrado ao município de Sengés, ambos no estado do Paraná. Esta região está localizada no limite austral das formações fitogeográficas do bioma Cerrado.

A parceria do Mater Natura com o Governo do Estado do Paraná (Instituto Água e Terra – IAT) e a Prefeitura de Jaguariaíva permitirá atuar na recuperação dos processos ecológicos de áreas no Parque Estadual do Cerrado, Parque Estadual do Vale do Codó e Parque Ambiental Dr. Ruy Cunha, e no levantamento de áreas prioritárias para restauração em propriedades particulares que formam o Corredor Ecológico do Rio Jaguariaíva, interligando as Unidades de Conservação inseridas no município.

Área de abrangência do projeto Cerrado Paranaense

Para o primeiro ano do projeto as intervenções de restauração serão concentradas em 245 hectares no Parque Estadual do Cerrado. Com ênfase no incremento das populações de espécies ameaçadas e raras do Cerrado paranaense o projeto irá ampliar a diversidade de espécies nos processos de sucessão natural em áreas que se encontram estagnadas e/ou empobrecidas e atuará na restauração de áreas invadidas por espécies exóticas. Será realizada também o monitoramento e cadastro de matrizes para coleta de sementes, dentro e no entorno das três Unidades de Conservação, com intuito de ampliar a diversidade de mudas nos viveiros parceiros, para restauração do Cerrado paranaense.

Visando o fortalecimento da cadeia produtiva de restauração do cerrado paranaense e futuras ações em rede, o projeto prevê o envolvimento, a mobilização e a capacitação de uma ampla matriz de stakeholders. No segundo semestre deste ano será iniciado a articulação territorial com os proprietários de terras em busca de áreas prioritárias para restauração no corredor ecológico do rio Jaguariaíva.

Área de Intervenção no Parque Estadual do Cerrado – Ano 1 do projeto.

Inscreva-se em nossa Newsletter

Receba mensalmente o nosso informativo.

Posts Relacionados

Nossas ações

Mutirão remove 80 kg de braquiárias-d’água de manguezais de Antonina

Ação visa sensibilizar e envolver a comunidade em ações para manutenção da biodiversidade e maior resiliência climática O Mutirão de remoção de braquiárias-d’água, realizado no dia 11 de maio pelo projeto “Olha o Clima, Litoral!”, removeu cerca de 80 kg de braquiárias-d’água de manguezais e ambientes associados da baía de Antonina, no Paraná – que

Biblioteca Olha o Clima, Litoral!

Cartilha “Manual de boas práticas para o manejo de braquiárias-d’água”

Instagram Facebook-f Linkedin Youtube Cartilha “Manual de boas práticas para o manejo de braquiárias-d’água” As braquiárias-d’água são espécies exóticas invasoras de capim trazidas da África para o Brasil, muito utilizadas na alimentação de búfalos, bois e também em plantações de café e milho. No litoral do Paraná, elas foram usadas em pastagens para búfalos na

Rolar para cima