Mudança climática: projeções e recomendações para o Litoral do Paraná – Estudos de elevação do nível do mar e quantificação de estoques de carbono azul

Compartilhe esse conteúdo

O relatório Estudos de elevação do nível do mar e quantificação de estoques de carbono azul é o primeiro de uma série de publicações intitulada Mudança climática: projeções e recomendações para o Litoral do Paraná, que serão concluídas até o final do ano pelo projeto “Olha o Clima, Litoral!”, realizado pelo Mater Natura – Instituto de Estudos Ambientais em parceria com a Petrobras, pelo Programa Petrobras Socioambiental.

Esta primeira publicação apresenta conceitos gerais relacionados à mudança climática e projeções que mostram os potenciais efeitos da elevação do nível do mar sobre manguezais e brejos salinos e, consequentemente, sobre os estoques de carbono azul dos destes e outros ecossistemas costeiros no Paraná. 

As análises são baseadas em um modelo do Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática (IPCC, 2021), disponibilizado pela plataforma Coastal Risk Screening Tool, desenvolvida pela Climate Central. Para uma análise mais abrangente da vulnerabilidade costeira, o modelo considerou a elevação do nível do mar e a ocorrência de inundações costeiras, que podem ser aumentadas pelas mudanças climáticas, incorporando as áreas suscetíveis a inundações costeiras anuais devido a eventos extremos.

O litoral do Paraná conta atualmente com cerca de 30 mil hectares de manguezais e brejos salinos, segundo um mapeamento de 2023, realizado pelo Laboratório de Geoprocessamento e Estudos Ambientais (LAGEAMB) da Universidade Federal do Paraná (UFPR). O mapeamento foi usado como base no estudo do projeto para analisar os potenciais impactos do aumento do nível do mar sobre estes e os demais ecossistemas costeiros naturais – que são fundamentais para a manutenção de serviços ecossistêmicos e de uma ampla biodiversidade marinha e terrestre, para a subsistência de comunidades costeiras, além de contribuírem para reduzir impactos da mudança climática e protegerem as regiões costeiras. 

O objetivo é que estes dados possam contribuir para a construção de estratégias e ações de adaptação climática no Litoral do Paraná. O estudo visa também chamar a atenção para a urgência em desenvolver políticas públicas eficazes para enfrentar a crise climática, uma vez que os avanços nessa área têm sido limitados.

A partir deste primeiro estudo, o projeto está analisando a vulnerabilidade da região costeira, para contribuir com a definição de áreas prioritárias, e avaliando quais soluções são mais adequadas para os locais mais vulneráveis e que poderão ser incorporadas aos planos de gestão e ordenamento territorial no estado. Também serão desenvolvidos documentos com recomendações estratégicas para aumentar a adaptação aos impactos climáticos, voltados aos tomadores de decisão do litoral do estado do Paraná. 

Acesse o relatório “Mudança Climática: Projeções e Recomendações para o Litoral do Paraná – Estudos de elevação do nível do mar e quantificação de estoques de carbono azul” completo pelo link: https://bit.ly/relatorioclima 

Inscreva-se em nossa Newsletter

Receba mensalmente o nosso informativo.

Posts Relacionados

Biblioteca Olha o Clima, Litoral!

Mudança climática: projeções e recomendações para o Litoral do Paraná – Estudos de elevação do nível do mar e quantificação de estoques de carbono azul

O relatório Estudos de elevação do nível do mar e quantificação de estoques de carbono azul é o primeiro de uma série de publicações intitulada Mudança climática: projeções e recomendações para o Litoral do Paraná, que serão concluídas até o final do ano pelo projeto “Olha o Clima, Litoral!”, realizado pelo Mater Natura – Instituto

Nossas ações

2º Encontro Diálogo dos Saberes abordou temas como mudança climática e impactos na pesca

No último sábado (29/07), o projeto “Olha o Clima, Litoral!” realizou o 2º Encontro de Diálogo de Saberes, em conjunto com a Festa do(a) Pescador(a) em Antonina/PR, na Praia da Ponta da Pita. A ação buscou se aproximar da população local, especialmente pescadores e pescadoras tradicionais, para promover trocas com especialistas ambientais sobre temas como

Rolar para cima