UFPR Litoral promove workshop sobre conservação da Bacia do Rio Guaraguaçu – 29 de setembro

Compartilhe esse conteúdo

22 de setembro de 2021, notícia publicada pelo portal da Universidade Federal do Paraná.

O Laboratório de Análise e Monitoramento da Mata Atlântica (Lamma) da UFPR Litoral, em parceria com a Mater Natura Instituto de Estudos Ambientais, promove o I Workshop de Pesquisa, Monitoramento e Ações para Conservação da Bacia do Rio Guaraguaçu. O evento será realizado em ambiente virtual no dia 29 de setembro, das 9h às 18h, com participação gratuita.

A ideia é apresentar uma abordagem de desenvolvimento territorial sustentável a partir de pesquisas que estão sendo desenvolvidas na Bacia do Rio Guaraguaçu, no litoral do Paraná. O workshop reunirá pesquisadores que atuam na região com vistas à conservação desta bacia e ao subsídio para políticas públicas e tomada de decisões. A transmissão será feita pelo canal da Mater Natura no YouTube. A programação do evento está disponível aqui e as inscrições pode ser realizadas neste link.

O Lamma

O laboratório realiza pesquisas e divulgação científica sobre a Mata Atlântica do estado do Paraná com destaque para as áreas de sociobiodiversidade, impactos ambientais, conservação da natureza, ecologia da paisagem, ecologia de ambientes aquáticos e terrestres, ecologia humana e educação ambiental. O Lamma está integrado ao curso de Ciências Ambientais e ao Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Territorial Sustentável, ambos no Setor Litoral da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

I WORKSHOP DE PESQUISA, M
I WORKSHOP DE PESQUISA, M

I Workshop de Pesquisa, Monitoramento e Ações para Conservação da Bacia do Rio Guaraguaçu

Data: 29 de setembro de 2021

Horário: 9h às 18h

Transmissão: canal da Mater Natura no YouTube

Por Seção de Comunicação UFPR Litoral

Inscreva-se em nossa Newsletter

Receba mensalmente o nosso informativo.

Posts Relacionados

Institucional

Mater Natura aprova projeto junto ao MMA e Funbio

O projeto “Refloresta o Lagamar: fortalecimento de áreas protegidas e da cadeia produtiva de restauração para conservação da Mata Atlântica” propõe a restauração e enriquecimento florestal de 181,1 hectares da vegetação nativa em sete Unidades de Conservação estaduais e privadas do Lagamar paranaense e a ampliação da cadeia produtiva de sementes e mudas destinadas à

Rolar para cima