Projeto do Mater Natura estuda espécies de anfíbios ameaçadas e microendêmicas

Compartilhe esse conteúdo

23 de Março de 2019, notícia publicada pelo Mater Natura – Instituto de Estudos Ambientais.

Em setembro de 2018 foi iniciado projeto para o estudo dos anfíbios anuros do gênero Cycloramphus, o qual possui 28 espécies, sendo que várias delas com distribuição microendêmica. A maioria das espécies estão enquadradas em critérios de ameaça nas listas de espécies ameaçadas de âmbito internacional, nacional e estadual. O objetivo do projeto, que se estenderá até janeiro de 2022, é executar as ações previstas no Plano de Ação Nacional (PAN) Herpetofauna Sul para as espécies do gênero e mapear suas áreas de ocorrência, indicando aquelas mais adequadas para a criação de UCs para a conservação do gênero.

Em fevereiro, as atividades de campo do projeto se iniciaram no dia 11 e foram até dia 28. Neste período foram contemplados 15 pontos amostrais, dois a menos do período de janeiro. Isto ocorreu em virtude que no mês de fevereiro, embora a intensidade das chuvas pudesse contribuir para a presença das espécies deste projeto, as temperaturas estavam amenas. Contudo, nesta fase de campo foi possível identificar dois locais com a presença de espécies de Cycloramphus. As duas localidades situam-se em Morretes – PR, sendo uma delas na BR-277, em uma propriedade ao longo da estrada no dia 12 de fevereiro. Durante a busca ativa noturna, sob forte chuva, foi possível escutar um indivíduo de Cycloramphus. No entanto, não foi possível definir a espécie, pois após 15 minutos sob forte chuva o animal parou de vocalizar, tendo vocalizado três vezes dentro de um período de 45 minutos.

Nosso outro registro, foi na Serra da Graciosa, na Curva da Ferradura, no dia 18 de fevereiro, foi possível coletarmos um indivíduo de Cycloramphus rhyakonastes (Foto 1) e quantificar, através da vocalização, a presença de mais três indivíduos neste local (Foto 2). Além disto, realizamos coleta do solo e da água para testes do procedimento de barcoding (DNA Ambiental). Esta coleta ocorreu no mesmo local onde capturamos o indivíduo de C. rhyakonastes (Foto 3). No primeiro semestre deste projeto foram amostradas localidades nos municípios paranaenses de Morretes, Quatro Barras e São José dos Pinhais.

Abaixo, as fotos dos registros mencionados.

Foto 1 - Indivíduo de Cycloramphus rhyakonastes coletado em Morretes, Serra da Graciosa, Curva da Ferradura.
Foto 1 – Indivíduo de Cycloramphus rhyakonastes coletado em Morretes, Serra da Graciosa, Curva da Ferradura.
Foto 2 - Local de coleta do indivíduo de Cycloramphus rhyakonastes.
Foto 2 – Local de coleta do indivíduo de Cycloramphus rhyakonastes.
Foto 3 - Coleta de solo e água para análise de DNA ambiental no local que coletamos o indivíduo de Cycloramphus rhyakonastes.
Foto 3 – Coleta de solo e água para análise de DNA ambiental no local que coletamos o indivíduo de Cycloramphus rhyakonastes.

 

 

Inscreva-se em nossa Newsletter

Receba mensalmente o nosso informativo.

Posts Relacionados

Institucional

Mater Natura aprova projeto junto ao MMA e Funbio

O projeto “Refloresta o Lagamar: fortalecimento de áreas protegidas e da cadeia produtiva de restauração para conservação da Mata Atlântica” propõe a restauração e enriquecimento florestal de 181,1 hectares da vegetação nativa em sete Unidades de Conservação estaduais e privadas do Lagamar paranaense e a ampliação da cadeia produtiva de sementes e mudas destinadas à

Rolar para cima