Projeto Cavernas, promovendo estudos e a conservação do Patrimônio Espeleológico Nacional, chega ao fim 

Compartilhe esse conteúdo

No dia 16 de abril ocorreu a última reunião de acompanhamento dos projetos de estudos e conservação do Patrimônio Espeleológico no Paraná, no âmbito do Termo de Cooperação, para atender ao Termo de Compromisso de Compensação Espeleológica nº 01/2021/ICMBio-CECAV.

Dentre os presentes estavam representantes do CECAV/ICMBIO (Jocy Cruz e Diego Bento), da Margem Mineração – Cecil Cimentos (Douglas Souza e Jean Teixeira), e do Mater Natura (Carolina Müller). Todos os resultados e relatórios técnicos finais foram entregues no prazo estabelecido, bem como o fechamento da prestação de contas. Jocy e Diego parabenizaram o cumprimento das cláusulas e prazos do Termo, realizados com excelência.

O projeto teve por objetivo constituir um Grupo Gestor formado pelo ICMBio/CECAV, a empresa Margem Companhia de Mineração e a OSCIP Mater Natura, de forma a propiciar o cumprimento das obrigações que o órgão ambiental determinou no TCCE nº 01/2021 à Margem Mineração. Coube ao Mater Natura a cogestão técnica e a execução financeira de seis projetos para o estudo e a conservação do patrimônio espeleológico em parte do território do Paraná e de São Paulo.

Inscreva-se em nossa Newsletter

Receba mensalmente o nosso informativo.

Posts Relacionados

Nossas ações

Mutirão remove 80 kg de braquiárias-d’água de manguezais de Antonina

Ação visa sensibilizar e envolver a comunidade em ações para manutenção da biodiversidade e maior resiliência climática O Mutirão de remoção de braquiárias-d’água, realizado no dia 11 de maio pelo projeto “Olha o Clima, Litoral!”, removeu cerca de 80 kg de braquiárias-d’água de manguezais e ambientes associados da baía de Antonina, no Paraná – que

Biblioteca Olha o Clima, Litoral!

Cartilha “Manual de boas práticas para o manejo de braquiárias-d’água”

Instagram Facebook-f Linkedin Youtube Cartilha “Manual de boas práticas para o manejo de braquiárias-d’água” As braquiárias-d’água são espécies exóticas invasoras de capim trazidas da África para o Brasil, muito utilizadas na alimentação de búfalos, bois e também em plantações de café e milho. No litoral do Paraná, elas foram usadas em pastagens para búfalos na

Rolar para cima