Mater Natura contribui para a conservação de duas espécies de peixes anuais criticamente ameaçadas de extinção no Vale do Ribeira

Compartilhe esse conteúdo

Entre agosto de 2019 a agosto de 2022, um projeto do Mater Natura patrocinado pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza realizou o diagnóstico de duas espécies de peixes anuais da família Rivulidae que ocorrem no Vale do Ribeira e no Litoral Sul do Estado de São Paulo: Campellolebias dorsimaculatus e C. intermedius. Ambas as espécies estão classificadas como Criticamente em Perigo, especialmente por serem conhecidas em áreas inferiores a 10 km quadrados e habitarem áreas sob forte impacto antropogênico. 

Os trabalhos envolveram atividades de campo para a busca das espécies em suas localidades-tipo e áreas adjacentes, para a caracterização dos ambientes ocupados por elas e para a coleta de exemplares para estruturar um plantel de reprodutores. Além disso, atividades educativas foram realizadas junto a estudantes e professores da rede pública de ensino e também junto a outros interessados, como artistas e lideranças comunitárias.

O objetivo foi integrar estratégias de conservação, incluindo a sensibilização do público local a respeito de elementos pouco conhecidos da ictiofauna, como os peixes-anuais. Das duas espécies-alvo do projeto, apenas uma foi encontrada durante o período do estudo: C. dorsimaculatus, o peixe-anual-de-Iguape. Essa espécie foi encontrada em sua localidade-tipo, em Icapara (Iguape-SP) onde há muitos anos não era vista. A espécie também foi encontrada em uma nova localidade (próxima a localidade-tipo), descoberta pela equipe executora.

Campellolebias dorsimaculatus, o peixe-anual-de-Iguape (macho acima, fêmea abaixo). Créditos: Davi Hinncands de Oliveira

Os resultados obtidos ganharam projeção nacional após a redescoberta de C. dorsimaculatus e também com a notícia da descoberta de uma nova localidade de ocorrência da espécie. Os resultados também ganharam destaque por terem sido utilizados para a elaboração de planos de aula*, que foram divulgados por diferentes canais de comunicação, redes sociais ligadas ao projeto e a órgãos governamentais como o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Aquática Continental (CEPTA)/Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)

Os resultados também foram compartilhados em reuniões com técnicos ligados ao Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Peixes Rivulídeos, o PAN RIVULÍDEO, e em eventos online como ‘Peixes-Anuais – Políticas Públicas, Pesquisa e Educação Brasil afora‘, realizado em maio de 2021. 

*https://figshare.com/articles/online_resource/Plano_de_aula_de_Ci_ncias_para_o_2_ano_do_Ensino_Fundamental_Peixes_Anuais_Rivul_deos_/13584803, https://figshare.com/articles/online_resource/Plano_de_aula_de_Ci_ncias_para_o_9_ano_do_Ensino_Fundamental_Peixes_Anuais_Rivul_deos_/13583894

Equipe do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Aquática Continental (CEPTA)/Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) realizando a caracterização do biótopo de Campellolebias dorsimaculatus em Iguape-SP e a coleta de indivíduos para a estruturação de um plantel de reprodutores em cativeiro. Créditos: Domingos Garrone Neto

Essas interações promoveram os produtos do estudo, dando publicidade a materiais educativos. As abordagens utilizaram recursos como conferências online, lives e reuniões presenciais com estudantes e professores, além de alguns artistas e lideranças comunitárias, realizadas em Iguape (SP) na fase final do trabalho. 

Essa frente, no entanto, foi prejudicada pela pandemia de COVID-19, que apenas na reta final do projeto permitiu a realização de atividades presenciais. Por isso, optamos por focar os trabalhos em um grupo de 50 alunos que participam de um projeto denominado ‘Programa Agente Ambiental Mirim’ (PAAM), com apoio de sete professores da rede pública de ensino. Realizamos um encontro presencial no começo de agosto de 2022, em que o grupo de estudantes e seus tutores foi apresentado aos peixes anuais, com a demonstração de exemplares da espécie e os resultados do estudo. 

Além disso, foram doados materiais didáticos confeccionados pela equipe do projeto, como um gibi sobre os ‘peixes das nuvens’, planos de aula sobre peixes anuais, e banners e folhetos a respeito da espécie Campellolebias dorsimaculatus para uso nas escolas da região, especialmente as localizadas no entorno da localidade-tipo da espécie. A atividade teve grande repercussão pelo fato de os alunos e tutores do PAAM serem agentes multiplicadores, que deverão ampliar o acesso às informações do projeto. 

Outro aspecto relevante foi a estruturação do plantel ex situ de reprodutores da espécie Campellolebias dorsimaculatus no Laboratório de Ictiologia e Conservação de Peixes Neotropicais da UNESP de Registro e no Laboratório de Ictiologia do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Aquática Continental (CEPTA)/Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). O foco é integrá-lo a estratégias de conservação integrada, com um banco de germoplasma e o início de estudos sobre o comportamento reprodutivo da espécie. 

Plantel de reprodutores de Campellolebias dorsimaculatus estruturado no Laboratório de Ictiologia do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Aquática Continental (CEPTA)/Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) em Pirassununga-SP. Créditos: Davi Hinncands de Oliveira

Este último tópico é de destaque, já que o comportamento reprodutivo da espécie é desconhecido e, portanto, experimentos dessa natureza poderão gerar dados sobre as melhores formas de manejar machos e fêmeas, bem como ovos, em cativeiro.

O técnico Davi Hinncands de Oliveira, funcionário do CEPTA/ICMBio e aluno do curso de mestrado profissionalizante do Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade em Unidades de Conservação da Escola Nacional de Botânica Tropical do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, já está trabalhando nessa frente, sob a orientação da Dra. Carla Natacha Marcolino Polaz do ICMBio e colaboração do responsável técnico do presente projeto, Prof. Dr. Domingos Garrone Neto, e da coordenadora do PAN RIVULÍDEOS, a analista ambiental do CEPTA/ICMBio Izabel Corrêa Boock de Garcia. 

Esse estudo vem contando com apoio adicional do MMA e do WWF-Brasil no contexto do Projeto Estratégia Nacional para a Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção (GEF Pró-Espécies). Os resultados deste trabalho serão de relevância para que estratégias de conservação integrada sejam colocadas em prática. 

Foram parceiros do Mater Natura na execução desse projeto a Universidade Estadual Paulista – UNESP, campi Registro e do Litoral Paulista; o Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo (MZUSP) e o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Aquática Continental (CEPTA)/Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Já a equipe executora foi composta por: Domingos Garrone Neto (responsável técnico), Eduardo Omena Santinelli, Gabriel Raposo Silva de Souza, Marcos Ricardo Bornschein e Osvaldo Takeshi Oyakawa. O projeto também contou com a colaboração de Davi Hinncands de Oliveira, Izabel Corrêa Boock de Garcia, Carla Natacha Marcolino Polaz e Luciana Hitomi Hayashi Martins.

Inscreva-se em nossa Newsletter

Receba mensalmente o nosso informativo.

Posts Relacionados

Institucional

Parceria com a loja GRAMA gera doações para o Mater Natura em novembro

Durante todo o mês de novembro, 1% de todas as vendas realizadas pela marca de roupas e acessórios GRAMA será doado ao Mater Natura. A GRAMA busca produzir peças de forma sustentável pela escolha de matérias primas e modos de produção.  A loja está com liquidação com descontos de até 50% e descontos progressivos adicionais – duas peças com 15%

Rolar para cima