20 anos de atuação em Listas de Fauna Ameaçada de Extinção

Compartilhe esse conteúdo

Junho de 2024 marcou os 20 anos da trajetória do Mater Natura com o desenvolvimento das listas estaduais de animais ameaçados de extinção. Em 15 de junho de 2004, o Governo do Paraná publicou o Decreto nº 3148, que oficializou a Política Estadual de Proteção à Fauna Nativa e estabeleceu, em seu anexo II, a Lista das Espécies de Animais Ameaçadas de Extinção no estado do Paraná.

Livros Vermelhos da Fauna Ameaçada de Extinção de 1995 e 2004

Esta lista de 2004 foi o resultado de dois anos de trabalhos coordenados pelo Mater Natura – Instituto de Estudos Ambientais, iniciados em 17 de janeiro de 2003 em um workshop com a presença de 64 pesquisadores, para discutir os critérios e o planejamento para a revisão e ampliação da Lista e do Livro Vermelho da Fauna Ameaçada de Extinção no Paraná, edição de 1995. 

Nestes dois anos, o Mater Natura coordenou a realização de um diagnóstico das espécies da fauna ameaçadas no Paraná integrando os esforços de um conjunto de 28 instituições e 115 pesquisadores, incluindo características biológicas, áreas de ocorrência e a situação nas Unidades de Conservação do estado, para mais um passo na conservação da biodiversidade paranaense.

O primeiro estado brasileiro a publicar a lista de espécies da fauna ameaçada foi o Paraná, em 17 de fevereiro de 1995. A lista de 2004, efetuada pelo Mater Natura, representou não somente uma atualização dos táxons trabalhados na Lista pioneira de 1995, como também a ampliação através da inclusão de novos táxons, como peixes e anfíbios, e da ordem Lepidoptera e parte de Hymenoptera (Apoidea). 

No total, a Lista Vermelha de 2004 incluiu 163 espécies ameaçadas para o Paraná, distribuídas em quatro categorias – RE, CR, EN e VU, sendo 69 aves, 32 mamíferos, 22 peixes, 18 abelhas, 15 lepidópteros, 4 anfíbios e 3 répteis. Este total inclui 4 espécies que já desapareceram no Estado, 3 aves (gralhão, Daptrius americanus; uiraçu-falso, Morphnus guianensis; codorninha, Taoniscus nanus) e 1 mamífero (preguiça-de-três-dedos, Bradypus variegatus).

Bicudinho-do-brejo (Formicivora acutirostris), espécie ameaçada de extinção descoberta em 1995, por Marcos R. Bornschein e Bianca L. Reinert

Nas últimas duas décadas, a lista de 2004 teve revisão apenas em dois táxons, o de mamíferos, cuja relação foi oficializada pelo Decreto estadual 7264 de 01 de Junho de 2010, e o de aves, pelo Decreto 11797 de 22 de novembro de 2018. Coube, novamente, ao Mater Natura coordenar os esforços da comunidade científica paranaense, em 2022 e 2023, para efetuar uma nova revisão geral da lista de 2004, desta vez resultando em uma lista com 330 espécies ameaçadas, em 14 táxons, com a inclusão de 7 grupos de invertebrados em relação à lista de 2004, a qual foi oficializada em junho de 2024 pelo decreto estadual nº 6040 de 05 de junho de 2024

No período de 20 anos entre os dois trabalhos do Mater Natura, as listas de 2004 e 2024, outros estudos e pesquisas foram realizados pela OSCIP que contribuíram para a conservação da fauna paranaense. Entre eles, destacamos que pesquisadores associados ao instituto descobriram e descreveram, entre 1995 e 2018, um total de 26 novas espécies de anfíbios anuros (21) e de aves (5) no bioma mata atlântica, sendo que 10 delas estão incluídas na nova lista de 2024.

 

Sapinho-de-barriga-vermelha (Brachycephalus coloratus), espécie descoberta por pesquisadores do Mater Natura e incluída na lista de 2024. Foto: Luiz Fernando Ribeiro 

Outros cinco projetos e serviços relevantes no âmbito das listas estaduais de espécies ameaçadas de extinção foram concluídos ou estão em elaboração pelo Mater Natura por meio de editais do Projeto Estratégia Nacional para a Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção – (GEF Pró-Espécies), coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente – MMA

1- Elaboração e revisão de listas das espécies ameaçadas de fauna e de flora de ocorrência no PAT Caminho das Tropas Paraná-São Paulo do GEF Pró-Espécies (janeiro a março 2020) – o projeto gerou informações atualizadas sobre as espécies ameaçadas nos estados do Paraná e em São Paulo, de forma a subsidiar os órgãos públicos na “Elaboração de Plano de Ação Territorial para as espécies criticamente ameaçadas no PAT Caminho das Tropas Paraná-São Paulo”. O denominado território abrange 110 municípios no Paraná e 53 em São Paulo (uma área de 12.474.067 hectares).

2- Elaboração de plano de ação territorial para as espécies da fauna criticamente ameaçadas do PAT Cinturão Verde do GEF Pró-Espécies (janeiro a junho 2021) – teve por objetivo sistematizar e gerar informações atualizadas sobre as espécies ameaçadas no estado de São Paulo, de forma a subsidiar os órgãos públicos na “Elaboração de Plano de Ação Territorial para as espécies criticamente ameaçadas no Território”. 

3- Plano de ação territorial Caminho das Tropas Paraná – São Paulo (janeiro 2021 a dezembro 2024) – o projeto tem como objetivo implementar e executar as ações que constam na Matriz de Planejamento do PAT Caminho das Tropas Paraná-São Paulo. Para isso, um técnico do Mater Natura foi selecionado para assessorar e dar suporte à equipe da SEDEST – Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e da SEMIL – Secretaria de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística do Estado de São Paulo na implementação das ações que compõem o Plano de Ação Territorial (PAT) Caminho das Tropas Paraná-São Paulo, assessorando todas as etapas do processo previstas ao longo do projeto, realizando articulação com os parceiros e articuladores das ações, elaborando documentos. 

4- Revisão e atualização da Lista Vermelha da fauna ameaçada do Estado de São Paulo (novembro de 2023 a novembro de 2024) – o projeto tem como objetivo compilar informações para a formação de um banco de dados e confeccionar materiais cartográficos para subsidiar a SEMIL – Secretaria de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística na atualização da lista de espécies de fauna ameaçada de extinção do estado de São Paulo.

5- Atualização da Lista de Espécies da Fauna Ameaçadas de Extinção no Estado de Santa Catarina (junho de 2024 a dezembro de 2024) – o projeto tem como objetivo conduzir em conjunto com o IMA – Instituto do Meio Ambiente a revisão e atualização da Lista de Espécies de Fauna Silvestre Ameaçadas de Extinção no Estado de Santa Catarina, com o uso do método de categorias e critérios da União Internacional para a Conservação da Natureza – UICN.

Para coroar estes 20 anos de atuação do Mater Natura na área das listas estaduais de espécies ameaçadas de extinção, está planejado o lançamento  de uma nova versão online do Livro Vermelho da Fauna Ameaçada de Extinção no Estado do Paraná, para o final deste ano, elaborado a partir das espécies elencadas na lista estadual de junho de 2024.

Inscreva-se em nossa Newsletter

Receba mensalmente o nosso informativo.

Posts Relacionados

Biblioteca Olha o Clima, Litoral!

Mudança climática: projeções e recomendações para o Litoral do Paraná – Estudos de elevação do nível do mar e quantificação de estoques de carbono azul

O relatório Estudos de elevação do nível do mar e quantificação de estoques de carbono azul é o primeiro de uma série de publicações intitulada Mudança climática: projeções e recomendações para o Litoral do Paraná, que serão concluídas até o final do ano pelo projeto “Olha o Clima, Litoral!”, realizado pelo Mater Natura – Instituto

Nossas ações

2º Encontro Diálogo dos Saberes abordou temas como mudança climática e impactos na pesca

No último sábado (29/07), o projeto “Olha o Clima, Litoral!” realizou o 2º Encontro de Diálogo de Saberes, em conjunto com a Festa do(a) Pescador(a) em Antonina/PR, na Praia da Ponta da Pita. A ação buscou se aproximar da população local, especialmente pescadores e pescadoras tradicionais, para promover trocas com especialistas ambientais sobre temas como

Rolar para cima