Mater Natura apresenta os resultados do projeto GEF Pró-Espécies – Território 20

Compartilhe esse conteúdo

22 de agosto de 2021, notícia publicada pelo Mater Natura – Instituto de Estudos Ambientais.

O Território 20, no âmbito do Projeto “Pró-Espécies: Estratégia Nacional para Conservação de Espécies Ameaçadas”, está inserido na Reserva da Biosfera do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo e abrange 19 municípios da região metropolitana de São Paulo, totalizando 123.906,58 hectares. A região está inserida no domínio fitogeográfico da Mata Atlântica e a cobertura vegetal é transição entre as fitofisionomias de Floresta Ombrófila Densa e Floresta Estacional Semidecidual. Nesta região também estão presentes relictos de campos natural e cerrado. Dessa forma, se faz um ambiente único para manutenção da biodiversidade regional.

No entanto, devido ao histórico de ocupação e a ação humana, visando os diferentes processos de urbanização (ex. pressão imobiliária, industrial e obras de infraestrutura), a maior parte da cobertura vegetal do território foi descaracterizada e atualmente está fragmentada ou foi totalmente removida, o que teve impacto negativo na biota regional.

Dessa forma, o presente projeto foi excecutado pelo Mater Natura com o apoio financeiro do WWF-Brasil, e teve como objetivo a produção de uma base de dados contendo as espécies de fauna ameaçadas, quase ameaçadas ou com dados insuficientes a com ocorrência na área, para elaboração e revisão de listas de espécies da fauna de ocorrência regional no âmbito do Projeto “Pró-Espécies: Estratégia Nacional para Conservação de Espécies Ameaçadas”, Território 20.
Para atingir o objetivo do trabalho, de fevereiro a julho de 2021 foram desenvolvidos cinco produtos de forma sequencial e complementar, com metodologias específicas. São eles:

1. Compilação e sistematização de Lista de Espécies da Fauna Ameaçadas de Extinção, Quase Ameaçadas ou com Dados Insuficientes em escala mundial, nacional e estadual, com ocorrência no estado de São Paulo;
2. Elaboração de Base de Dados Preliminar de Registros de Ocorrência Potencial de Espécies de Fauna Ameaçadas de Extinção, Quase Ameaçadas ou com Dados Insuficientes na área de estudo.
3. Elaboração de Base de dados Consolidada de Registros de Ocorrência Potencial de Espécies de Fauna Ameaçadas de Extinção, Quase Ameaçadas ou com Dados Insuficientes na área de estudo;
4. Elaboração de Base de Dados de Registros de Ocorrência Efetiva de Espécies de Fauna Ameaçadas de Extinção, Quase Ameaçadas e com Dados Insuficientes no Território 20;
5. Elaboração de Relatório Final

O Produto 1 resultou no registro de 2151 espécies distribuídos nas diferentes categorias de ameaças. Considerando as categorias, a maioria não consta em todas as listas ou são categorizadas como “LC”, no entanto, várias espécies são enquadradas nas categorias mais críticas de ameaça (ex. CR, DD, EN). A listagem final de espécies do Território 20 é composta por 477 espécies, 328 gêneros, 125 famílias, 57 ordens, 11 classes pertencentes a quatro filos. Os filos são representados por Chordata (89 famílias e 235 espécies) que é o mais rico, seguido por Artropoda (30 famílias e 234 espécies), Mollusca (5 famílias e 7 espécies) e Platyhelmintes (1 família e 1 espécie).

No que se refere a categoria de ameaça, 57 espécies são categorizadas como CR, 273 são DD, 73 são EN, 2 são EX e 10 são categorizadas como RE em nível estadual, nacional ou mundial, segundos as respectivas listas vermelhas. Desse total de espécies, 7 espécies são contempladas nos PANs (Planos de Ação Nacional) existentes e 390 não estão presentes nos PANs.

Figura 1: Gradiente de número de registros e riqueza de espécie nos municípios do território 20.

Inscreva-se em nossa Newsletter

Receba mensalmente o nosso informativo.

Posts Relacionados

Eventos

Plano de Restauração da Mata Atlântica no Alto Paraná aponta os caminhos para a restauração na região

1° de julho de 2022, notícia publicada pelo Mater Natura – Instituto de Estudos Ambientais. Material foi elaborado pelo Mater Natura em parceria com o WWF-Brasil e aborda aspectos socioeconômicos para o fortalecimento da cadeia da restauração  O “Plano de Restauração da Mata Atlântica na Ecorregião do Alto Paraná”, um documento norteador e que reúne

Prêmios

HOMENAGEM DO SINDIVET-PR

O Sindicato dos Médicos Veterinários no Estado do Paraná (Sindivet-PR), em parceria com a Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS), realizou em 27 de maio um evento comemorativo ao Dia Nacional da Mata Atlântica. A fim de reconhecer as boas práticas já realizadas em torno da proteção à biodiversidade, o Sindivet

Rolar para cima