Olha o clima, litoral!

Petrobras
Início: outubro/2022
Término: outubro/2024
Financiador: Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental

Participação do Mater Natura no Projeto: Instituição proponente e executora

Financiador: Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental

Instituições parceiras: Universidade Estadual Paulista (UNESP) 

Coordenação: Marcos R. Bornschein

Equipe executora: Anabel de Lima, Anne Zugman, Bruno de Morais Guerra, César C.V. Tavares, Elielson Marcelino, Helena Zarantonielli da Costa, João Guimarães, Juliana Ventura de Pina, Juliana Vitulskis, Karina Luiza de Oliveira, Larissa Teixeira, Paulo Aparecido Pizzi e Ricardo Pamplona Campos.

Descrição:

A proposta visa desenvolver e implementar, de forma participativa, estratégias e práticas de Adaptações baseadas em Ecossistemas (AbE) dirigidas aos manguezais, brejos salinos e comunidades locais do Estado do Paraná para torná-los mais resilientes à mudança climática. Manguezais e ambientes associados são impactados pela invasão de espécies exóticas e por efeitos da mudança climática. Esses ambientes ocorrem em estuários, que são regiões protegidas do mar aberto onde se dá o contato entre a água salgada do mar e doce dos rios. Se atuará nas frentes restauração, modelagem, articulação territorial, ações socioambientais e comunicação.

São 13 as ações do projeto:

1. Restaurar um mínimo de seis hectares de brejos salinos e manguezais da baía de Antonina, invadidos pela braquiária-d’água Urochloa arrecta (Figuras 1 e 2).

2. Beneficiar com área restaurada ao menos 10 casais do ameaçado bicudinho-do-brejo Formicivora acutirostris (Figura 3).

3. Diagnosticar os remanescentes de mangues e marismas e estimar respectivos estoques de carbono.

4. Diagnosticar a vulnerabilidade costeira do litoral do Paraná.

5. Prover subsídio técnico para tomadores de decisão sobre estratégias e ações para adaptação climática.

6. Diagnosticar de forma integrada e colaborativa o cenário socioambiental dos sete municípios do litoral paranaense, com a análise das demandas e oportunidades para conservação de manguezais e marismas e medidas de adaptação às mudanças climáticas.

7. Integrar o poder público, iniciativa privada, instituições de pesquisa, OSC, unidades de conservação, lideranças locais e sociedade em geral nas discussões acerca da conservação de manguezais e marismas e das adaptações às mudanças climáticas no litoral paranaense.

8. Levantar e validar diferentes perspectivas e demandas da comunidade pesqueira, fortalecendo-a na gestão e uso sustentável do manguezal em Antonina (Figura 4).

9. Melhorar a gestão financeira de unidades familiares de pescadores artesanais da baía de Antonina.

10. Instrumentalizar profissionais da educação para atuarem como agentes ambientais multiplicadores da conservação dos ecossistemas locais.

11. Difundir informações sobre a conservação dos manguezais e da baía de Antonina.

12. Divulgar o projeto e sensibilizar diversos públicos.

13. Sensibilizar e engajar públicos locais para ações de educação e desenvolvimento socioambiental.

Porção do estuário da baía de Antonina

Figura 1. Porção do estuário da baía de Antonina (quadro branco) onde se concentra a maior área de brejos salinos e manguezais invadidos pela braquiária-d’água Urochloa arrecta (polígonos em branco) do Paraná. Nessa região, o projeto prevê a restauração de um mínimo de seis hectares de ambientes invadidos. Ano base do mapeamento, 2019. Fonte: Google Earth Pro 7.3.4.8248.

Estuário na baía de Antonina evidenciado a contaminação biológica pela invasão da braquiária-d'água

Figura 2. Estuário na baía de Antonina evidenciando a contaminação biológica pela invasão da braquiária-d’água Urochloa arrecta, em tonalidade verde-clara. Fotografia: Larissa Teixeira.

Figura 3. Bicudinho-do-brejo Formicivora acutirostris, espécie ameaçada de extinção que será beneficiada pela restauração do ambiente a ser promovida pelo projeto Olha o Clima, Litoral! Fotografia: Marcos R. Bornschein.

Figura 4. Cidade de Antonina, onde se concentrará muitas das ações do Projeto Olha o Clima, Litoral! Fotografia: Larissa Teixeira.

Scroll to Top