Developing the predictive ecology of plant-animal interactions across space and time (“Desenvolvendo a ecologia preditiva das interações planta-animal através do espaço e do tempo”)

Início: Novembro 2019
Término: Dezembro 2022
Financiador: European Research Council (ERC)

 

Developing the predictive ecology of plant-animal interactions across space and time (“Desenvolvendo a ecologia preditiva das interações planta-animal através do espaço e do tempo”)

Participação do Mater Natura no Projeto: A instituição proponente do projeto é a UFPR através do Laboratório de Interações e Biologia Reprodutiva, que se responsabilizará pela Gestão Técnica, sendo o Mater Natura o responsável por sua gestão administrativa e financeira.

Financiador: European Research Council (ERC)

Parceiros: Swiss Federal Institute for Forest, Snow and Landscape Research (WSL) e Universidade Federal do Paraná – UFPR

Equipe Executora:

Coordenadora Geral: Isabela Galarda Varasssin

Coordenador Técnico: Tiago Machado

Técnicos: Alejandro Restrepo, Ana Paula Caron, Catherine Graham, Daniella Bolla; Rafaela Bobato, Rafael de Oliveira, Ricardo Camargo e Thais Bastos Zanata.

Descrição: Os processos que regem os padrões de diversidade de espécies se dão em múltiplas escalas. Estas espécies são interconectadas por redes de interação, onde a diversidade de um grupo afeta o outro, e formam assim a arquitetura da biodiversidade. Neste projeto é proposta a análise de atributos funcionais e de redes complexas para o entendimento dos processos organizadores de comunidades em uma escala local e regional em assembleias de beija-flores e suas fontes de néctar na Mata Atlântica.

A presente proposta reúne perguntas realizadas em escalas locais na Mata Atlântica, com coletas de dados em campo, que se integram a perguntas em escala regional através da avaliação das redes de interações e diversidade funcional e filogenética em um gradiente altitudinal. Serão feitas amostragens em três cotas altitudinais no Sudeste brasileiro. A cota altitudinal baixa será amostrada no Parque Estadual da Serra do Mar, núcleo Picinguaba (Ubatuba-SP); a cota altitudinal média será amostrada na no Parque Estadual da Serra do Mar, núcleo Cunha (Cunha-SP)e a cota altitudinal alta será amostrada no Parque Nacional do Itatiaia (Itatiaia-RJ)

As perguntas em escala local envolvem as interações locais, o efeito da limitação polínica sobre a aptidão das plantas e o levantamento da diversidade funcional. Em escala regional, será avaliada a dissimilaridade biótica entre áreas, que é uma ferramenta importante para detectar padrões em ecologia de comunidades, biogeografia e evolução e que pode ser usada para inferir processos subjacentes. Neste aspecto, a avaliação do turnover de interações a partir de seu componente de diversidade beta de espécies e diversidade beta de reconexões serão consideradas. Desta forma, um arcabouço analítico extenso está sendo considerado para subsidiar entendimento científico dos processos envolvidos nas interações entre espécies de beija-flores e plantas na Mata Atlântica.

 


Rolar para cima